1_800x500.jpg

Ateliê de Tecelagem Hermantina Drummond -

O Setor de Artesanato e Cursos Livres da Fundação Cultural Calmon Barreto foi criado com o propósito de resgatar a genuína arte da Tecelagem, técnica datada da época do povoamento da região. A primeira verba a beneficiar a recém criada Fundação foi oriunda de recursos estaduais para estruturar e dar andamento à manifestação cultural e à formação de artesãos, com implicações sociais.

Centro de Refer__ncia 2018 (9).jpeg

Centro de Referência da Cultura Negra -

Espaço inaugurado em maio de 2004 pela Prefeitura com administração da Fundação Cultural Calmon Barreto, o Centro de Referência da Cultura Negra está localizado no alto de Santa Rita, ao lado da Árvore dos Enforcados. É importante dizer que é o primeiro deste gênero em Minas Gerais.

DSC01145 -  fachada.jpg

Escola Municipal de Música Maestro Elias Porfírio de Azevedo -

Criar um conservatório musical era um antigo desejo de Araxá. Aulas de canto, de piano, de violão etc., foram ministradas por professores da área musical, na sede da Fundação Cultural Calmon Barreto, desde sua instalação. Em agosto de 1985 foi criado o Coral “Villa-Lobos”, pela presidente da FCCB, Lygia Cardoso Maneira, tendo como regente Hercília Cardoso Del Nery. Sua primeira apresentação oficial foi em dezembro do mesmo ano e não parou mais. Com expressiva atuação na sociedade, fez inúmeras apresentações em ocasiões como recitais, casamentos, congressos, saraus, feiras etc.

foto (114).jpg

Memorial de Araxá -

A Fundação Cultural Calmon Barreto reuniu todo o acervo do Lugar de Memória que se encontrava no Museu Histórico de Araxá – Dona Beja e o instalou no Memorial de Araxá.

calmon100417.jpg

Museu Calmon Barreto -

Após o falecimento do artista Calmon Barreto, em junho de 1994, a Fundação Cultural Calmon Barreto idealizou e fez acontecer, em outubro de 1995,

C__pia de foto (85)1.jpg

Museu da Imagem e do Som -

O Museu da Imagem e do Som se constituiu a partir de doações feitas pela Rádio Imbiara e pelo senhor Max Neumann, sendo um espaço da Fundação Cultural Calmon Barreto desde a sua criação, em 2001.

DSC01393-Small.jpg

Museu Histórico de Araxá - Dona Beja -

Em 04 de setembro de 1965, o “Museu Regional Dona Beja” foi inaugurado pelo jornalista Assis Chateaubriand, o primeiro do país de uma série de Museus regionais criados por ele. Tornou-se um “presente para a cidade”, pois era o ano do centenário da emancipação política de Araxá. A revista “O Cruzeiro” e o jornal “O Estado de Minas” cobriram o evento.

cristo-morto-capelasaosebastiao.jpg

Museu Sacro da Igreja São Sebastião -

Em 19 de dezembro de 1991, como um presente para a cidade nos seus 126 anos de emancipação política, o Museu Sacro da Igreja de São Sebastião foi inaugurado (através da Lei Municipal Nº 2.468 de 14 de novembro de 1991), subordinado administrativamente à Fundação Cultural Calmon Barreto.

img_6536-e1461685771416.jpg

Teatro Municipal -

O Teatro Municipal é a culminância de um projeto que visou à valorização arquitetônica e urbanística do centro de Araxá. Assinado pelo arquiteto Gustavo Penna, o projeto liga o caminho do Teatro à Praça da Igreja Matriz de São Domingos e dá visibilidade ao Parque do Cristo.

PRAÇA ARTHUR BERNARDES - 24/09/2020

O antigo prédio da Estação, hoje sede da Fundação Cultural Calmon Barreto, o seu entorno são bens imóveis tombados pelo município desde 1990. De acordo com os padrões de formação das cidades no Brasil, a primeira praça era sempre a da matriz, a segunda destinava-se à primeira escola pública e a terceira, geralmente, sediava a rede ferroviária. Araxá seguiu esta tendência de ocupação urbana. Cresceu em direção ao sul, rumo ao local onde se encontram as fontes de águas minerais do Barreiro. Partindo da antiga Praça da Matriz, hoje Cel. Adolpho estendeu-se à outra praça, a d’Abadia. Nesta foi construída, em 1911, a primeira escola pública, ou seja, o Grupo Escolar Delfim Moreira, no mesmo lugar onde está o Colégio São Domingos. A edificação da atual Igreja Matriz, ocorrida entre 1917 e 1948, fez parte do projeto de remodelação da praça. A expansão da cidade favoreceu a criação de outras praças. A Praça da Conceição, atual Governador Valadares, ganhou um novo delineamento com jardim, gruta de N. Sra. de Lourdes e coreto, inaugurados em 1918. Seguindo o crescimento urbano reservou-se um espaço para instalar a sede local da rede ferroviária. Para isso foi planejada uma praça com traçado geometrizado, diferente das anteriores. Em agosto de 1926, a Câmara Municipal de Araxá denominou, então, a praça da estação que se construía de Praça Arthur Bernardes, em homenagem ao mineiro que exercia a presidência do Brasil no período entre 1922 e 1926.

8f598b67-42ed-4a53-a3fd-1ba0bab3d6e4.jpg

Museu do Legislativo - 27/03/2019

O Museu da Memória Legislativa Araxaense foi criado em 18 de maio de 2010, através da resolução N° 418, com a finalidade de preservar para as gerações futuras o acervo de documentos, publicações oficiais, móveis e objetos da Câmara Municipal de Araxá. O seu acervo é constituído por objetos, fotos, obras de valor artístico, documentos oriundos do processo legislativo, painéis e bens móveis da Casa Legislativa. Ele guarda a história dos quase dois séculos de história do Legislativo araxaense.