CINE-TEATRO BRASIL

ANTIGO CINE E CLUBE BRASIL - CASA DO POETA

 

Histórico: A construção do prédio do antigo Cine-teatro Glória (hoje casa do Poeta) foi certamente simultânea (1929/1930) a do prédio do antigo Banco do Comércio e Indústria de Minas Gerais.

Esta simultaneidade e sua vizinhança justificam os elementos neoclássicos que ambos apresentam em sua arquitetura. O Cine-teatro Glória foi construído na antiga Rua Boa Vista (hoje Presidente Olegário Maciel) em terrenos adquiridos de João Fagundes de Cerqueira pela firma Arnaldo Araújo e Irmãos, autores do empreendimento. O vendedor, por sua vez, tinha adquirido os terrenos da Paróquia de São Domingos através de seu representante Pe. André Aguirre.

A estrutura do prédio previa, no andar térreo, um cinema-teatro, salão de jogos, bar e cabaré (nos fundos), e no andar superior um salão de festas dividido em 3 ambientes. Sem registros escritos que o confirmem, tudo indica que sua inauguração ocorreu em 1930. Em 1933, na gestão de Olegário Maciel, como Presidente do Estado, e por intermédio do Senador João Jacques Montandon, o prédio foi vendido ao Estado uma vez que o empreendimento não teria rendido aos proprietários o retorno esperado.

O imóvel passou a ser administrado pela Prefeitura Municipal de Araxá, que por sua vez alugava-o para firmas particulares. Em 1937 foi criada uma associação recreativa que com o apoio da prefeitura, instalou-se no prédio. Nasceu o Clube Brasil, que teve suas primeiras ações colocadas à venda pelo preço de 300$000 réis e seus estatutos publicados no Diário Oficial do Estado em abril do mesmo ano.

Em 1939, a fim de obter recursos para o término da estrada Araxá-Catiara, o Estado de Minas Gerais colocou o imóvel a venda, através de concorrência pública, sendo então adquirido pelo Clube Brasil. Desde então, o clube passou a ser o proprietário do prédio e de todas as suas instalações (Confeitaria Brasil, Salão Brasil e antigo Cine-teatro Glória — naquele momento já havia se transformado em Cine-teatro Brasil).

Durante as próximas décadas o Clube foi o centro de importantes eventos ocorridos na cidade. Das suas sacadas foram pronunciadas palavras de saudação a Getúlio Vargas e aos pracinhas que partiram para a Itália durante a 2ª Grande Guerra Mundial. Daí, Jânio Quadros como governador de São Paulo e Clóvis Salgado, como vice de Minas Gerais, comunicaram à multidão que os ouvia assuntos de interesse da cidade como a construção da estrada Araxá-Franca.

Em 16 de novembro de 1998, na administração municipal do Ministro Olavo Drummond, o prédio foi cedido à Prefeitura Municipal de Araxá em regime de comodato e repassado sua administração à Fundação Cultural Calmon Barreto.

O prédio foi totalmente restaurado e inaugurado o espaço cultural Casa do Poeta, que é composto na parte inferior do Cine-teatro Brasil, da Academia Araxaense de Letras, da Sala Clube Brasil, de uma Biblioteca Infantil e de uma Braile. Na parte superior foi instalada a Biblioteca Municipal Viriato Corrêa, que depois de 44 anos passa a ter sua sede própria.

 

Fonte: Arquivos da Fundação Cultural Calmon Barreto.

Texto: Glaura Teixeira Nogueira Lima.